Negociação de Mini Contratos

Contratos futuros são acordos de compra e venda dos mais variados ativos (commodities, moeda estrangeira, ação etc.) a serem concretizados em uma data futura. Estes contratos padronizam as características dos produtos de tal forma a permitirem negociação em Bolsa de Valores. Quem negocia contratos futuros está buscando se proteger de oscilações nos preços de mercado dos ativos, ou simplesmente visa especular e lucrar com a volatilidade.

Por exemplo: uma empresa precisa pagar uma dívida em moeda estrangeira dentro de três meses. Por acreditar que a cotação do dólar subirá nesse período, a empresa compra um contrato futuro no qual é fixada a cotação da moeda ao preço de hoje. No vencimento do contrato, caso o dólar tenha de fato subido, a empresa não perderá com a variação cambial pois pré-fixou a cotação a ser paga. O vendedor, neste caso, deixa de ganhar pois poderia ter vendido os dólares a um valor de mercado mais elevado. Ao invés disso, se a cotação do dólar tiver caído, a empresa pagará mais caro pela moeda, enquanto o vendedor ganha ao vender os dólares a uma taxa mais alta que a negociada pelo mercado.

O valor mínimo para negociar contratos futuros é considerado alto do ponto de vista de pequenos investidores (em torno de R$ 300.000,00). Por isso foram criados os “Mini Contratos”, que são frações de contratos futuros, possibilitando a negociação de montantes  mais baixos mediante uma margem depositada na conta da corretora.

 

Mini Contratos de Índice

O Ibovespa é um indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro. É o resultado de uma carteira teórica, elaborada de acordo com os critérios estabelecidos em sua metodologia. Não estão incluídos nessa categoria os BDRs e ativos de companhias em recuperação judicial ou extrajudicial, regime especial de administração temporária, intervenção ou que sejam negociados em qualquer outra situação especial de listagem.

O Contrato Futuro de Ibovespa possibilita que o mercado negocie as expectativas futuras do mercado de ações, sem a necessidade de realizar a compra de toda a cesta de ações que compõem o Índice, mas ainda assim criando exposição às oscilações do indicador. Para facilitar a negociação de contratos em valores mais baixos, e possibilitar o acesso ao pequeno investidor, foram criados os Mini Contratos de Índice.

O valor financeiro destes contratos é calculado multiplicando a cotação atual do Índice Futuro por R$ 0,20. Ou seja, se o Índice Futuro estiver cotado a 100.000 pontos, o valor do contrato será de R$ 20.000,00. O prazo de validade é sempre de dois meses, vencendo em meses pares. O código de negociação dos contratos é “WIN” seguido de uma letra para determinar o mês de vencimento e de dois números para classificar o ano. A Bovespa determina que os contratos sejam submetidos a ajustes diários para minimizar riscos. Ou seja, o lucro ou prejuízo da operação até o momento é calculado automaticamente e o valor creditado/debitado da conta do investidor todos os dias até seu encerramento definitivo.

As principais vantagens de se negociar Mini Contratos são:

  • Alavancagem: não é necessário ter o valor integral de um contrato, apenas o montante necessário para margem de garantia na operação. Ou seja, com pouco dinheiro é possível estruturar uma operação de valor alto e potencial de lucro expressivo.
  • Alta liquidez: o volume de negociação de Mini Contratos chega a superar até mesmo o do próprio Ibovespa. A alta liquidez favorece operações de curto prazo, em que se pode lucrar com oscilações muito rapidamente.
  • Limites de oscilação diária: os Mini Contratos têm oscilações máximas diárias determinadas pela Bovespa, sendo de 10% no caso de contratos de Índice.

Suponha que o investidor compre 10 Mini Contratos de Índice a 80.000 pontos, pagando R$ 80,00 como margem de garantia por contrato, totalizando um aporte de R$ 800,00. Se o investidor encerrar a operação com o Índice a 80.500 pontos, seu lucro será de 500 pontos multiplicados por R$ 0,20 para cada contrato, embolsando R$ 1.000,00 ao todo. Considerando que o investidor somente desembolsou o valor da margem, não o valor integral dos contratos, a alavancagem permitiu um lucro bastante expressivo.

A complexidade deste investimento consiste em monitorar os movimentos de mercado e então se posicionar entre a compra ou venda do Índice. Para os investidores que não tem tempo de acompanhar de perto as variações da Bolsa, ou não dominam ferramentas de análise gráfica para se antecipar às reversões de tendências, recomendamos a tecnologia de um Robô de Investimentos. Algoritmos conseguem gerenciar riscos e maximizar rentabilidade com resultados muito superiores a gestores humanos, além de ter um custo de contratação muito mais baixo.

O Kalman Robô também opera Mini Contratos de Índice, confira o site para ter mais detalhes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here